Fundamentos do Letramento e da Alfabetização

  • por
Fundamentos do Letramento e da Alfabetização

Fundamentos do Letramento e da Alfabetização: Sob um prisma inicial, é importante destacar a origem do termo “alfabetizar” que significa apropriar-se da escrita, em sentido amplo. Ser “alfabetizado” gera a sensação de que a pessoa é capaz de, a partir do domínio da escrita, ler e escrever, sendo inserido ao mundo letrado.

Em contrapartida, o indivíduo considerado “analfabeto”, acaba por sofrer um processo de marginalização, pois perde direitos básicos relacionados ao exercício da sua própria cidadania, impossibilitado de se relacionar com os demais indivíduos “letrados”.

Por conta disso, é bastante recente a reflexão acerca daqueles indivíduos que sabem ler e escrever, de um modo geral, mas são incapazes de se apropriar efetivamente da leitura e da escrita. Essa é uma realidade que se origina nos processos de desigualdade social. Percebe-se, portanto, que os termos “alfabetizado” e “alfabetização” exercem um papel reducionista do processo de aquisição da escrita, o que prejudica as relações sociais.

É neste momento que surge a palavra “letramento” no nosso objeto de estudo, uma vez compreendido que a missão mais complexa não é apenas ensinar uma criança a ler e a escrever, mas, sobretudo, proporcionar uma relação crítica com a leitura e a escrita.

No Brasil, há uma infinidade de crianças e adolescentes, ou até mesmo adultos, que dominam as condições básicas de leitura e escrita, mas são incapazes de fazer o uso dessas ferramentas de maneira eficaz. Nesse tipo de caso, podemos ilustrar que os indivíduos são alfabetizados, mas não são letrados.

As condições de letramento as quais as crianças são submetidas, acaba interferindo no processo de aprendizagem. No mundo ideal, o acesso a uma escola de qualidade, a bibliotecas públicas, a clubes de livros, faria diferença substancial na formação desses cidadãos.

Nesse contexto, vamos de encontro aos aspectos políticos e sociais do letramento, dentro de uma lógica que opera em desfavor dessas pessoas mais carentes e desvalorizadas.

Além dos problemas sociais, também é possível elencar os problemas individuais. Se a leitura demanda não só a habilidade de se apropriar de uma metodologia, mas também de um universo de sentidos e de comparações, vale lembrar que ela resulta da capacidade de relacionar sons e letras e de organizar pensamentos em uma codificação escrita.

Por conta da necessidade dessas habilidades cognitivas, é difícil definir os fundamentos do letramento com exatidão. Além disso, observando as variáveis com relação a esse processo, é tão difícil quanto estabelecer o grau de letramento de uma pessoa.


KIT SÓ ESCOLA

+ de 800 atividades para alfabetização exclusivas e atualizadas pensadas e elaboradas por profissionais renomados.

O KIT CONTÉM:⁣⁣⁣⁣

📒Alfabeto para Colorir ⁣⁣⁣⁣
📗Atividades das Vogais ⁣⁣⁣⁣
📕Caderno dos Pontilhados
📕Caderno de Caligrafia ⁣⁣⁣⁣
📙Caderno das Cores⁣⁣⁣⁣
📕Textinhos para Leitura e Interpretação ⁣⁣⁣⁣
📗Caderno de Desenhos⁣⁣⁣⁣
📒Autoditado Ilustrado⁣⁣⁣⁣
📔Fábulas para Leitura⁣⁣⁣⁣⁣⁣⁣⁣
📗Fichas com Família Silábica⁣⁣⁣⁣
📙Fichas de Leitura Simples e Complexas
📘Atividades com Sílabas Simples e Complexas⁣⁣⁣⁣⁣⁣⁣⁣
📒Apostila de Matemática⁣⁣⁣⁣

São mais de 850 páginas de conteúdo em PDF 😊

Com o KIT SÓ ESCOLA seu filho ou aluno vai reforçar e/ou acelerar o processo de alfabetização. São centenas de atividades educativas lúdicas e atualizadas.

  • O kit é para crianças entre 1 a 10 anos de idade, mas também pode ser usado por crianças de outra faixa etária como um reforço do aprendizado. 
  • Pode ser usado também como um complemento escolar para reforçar a leitura e escrita, além de trabalhar com a motricidade fina.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *